Buscar por conteúdo

Contando com a presença de Caleb McLaughlin entre os modelos (todos negros) convocados e celebrando a obra de Sister Rosetta Tharpe, a “godmother do Rock N’Roll” – mulher, lésbica e negra, pouco creditada como parte do nascimento daquele estilo muscial, Kerby Jean-Rayond apresentou a mais recente coleção da sua marca, a PYER MOSS, enquanto reforçou sua parceria com a REEBOK, na semana de moda de Nova York.

O desfile aconteceu no Brooklyn, em espaço para três mil pessoas, ao som de um coral gospel e as peças contavam com estampas assinadas por Richard Phillips, um senhor que passou 45 anos preso por um crime que não cometeu e que usava o desenho como forma de passar o tempo.

Na REEBOK, agora, além da linha assinada, o criativo da PYER MOSS também exerce papel de diretor artístico da STUDIES, uma nova divisão dentro da gigante esportiva que pretende “explorar a natureza humana das coisas e mostrar a importância da vida das pessoas e de suas histórias”. O que se viu na passarela, além de, pelo menos três novos tênis – todos impregnados do DNA da REEBOK, mas com visual ultra-futurista – foi uma extensa cartela de roupas com logo das duas marcas.

O modelo de maior destaque atende pelo nome de EXPERIMENT 4 – FURY TRAIL. Desenhado em três partes, ele pretende simbolizar a história de luta e ascensão dos marginalizados, o glamour e a expressão do sucesso e as emoções, fazendo com que todas as partes do tênis fiquem em contato direto com o pé, segundo explicação do próprio Kerby. Suas vendas acontecem em outubro, no site internacional da REEBOK e em revendedores selecionados, como parte da coleção 3 da PYER MOSS. Em 2020, ele volta ao calendário de lançamentos em novas opções de cores.

Fotos: Sneaker News; Eddie Lee/HYPEBEAST