Buscar por conteúdo

De Novo, Tem Brasileiro Competindo No Pensole WSC – A Maior Competição De Design de Calçados Do Mundo

A PENSOLE é uma das principais escolas de design de calçados do mundo e, anualmente, ela se junta com a FOOTLOCKER para promover o WSC-WORLD SNEAKER CHAMPIONSHIP, uma competição que tem como prêmio uma quantia de mais de 20 mil dólares em dinheiro e extras, sem falar no principal: a produção do tênis, venda e distribuição por conta da FOOTLOCKER.

No ano passado, o paulista César Júnior representou o Brasil na competição e esse ano quem se destacou entre os participantes foi GUILHERME LEMES, que nasceu em Porto Alegre, mas hoje reside em São Paulo.

Guilherme é formado em design de produto e tem se aventurado no mundo dos tênis há algum tempo. Em seu currículo, ele já conta com uma participação anterior no WSC e agora volta a representar nosso país na batalha entre os 64 finalistas desse ano.

Numa rápida entrevista, ele nos contou um pouco sobre seu projeto e sua carreira no design. Confere aí!

Como você se aproximou do design de produto e mais propriamente dos calçados? E de que forma o seu interesse por essa área surgiu e chegou ao ponto de você querer participar de um concurso como o WSC?

Eu comecei minha vida acadêmica nos esportes. Minha primeira faculdade foi a Educação Física, que pra mim fazia muito sentido pois eu amo esportes. Lá pela metade do curso, eu percebi que não me via trabalhando com isso depois de formado. Então mudei para o Design por que eu precisava ver o resultado do meu trabalho, fisicamente, na minha frente.

Depois, quando estava perto de me formar, eu me perguntei qual seria minha profissão, o que eu gostaria de fazer dali pra frente. Então eu me lembrei do meu eu criança, que era apaixonado por tênis, que passava horas em lojas esportivas analisando todos os tênis das prateleiras e que desenhava as chuteiras que via na TV, numa época que as pessoas não tinham internet em casa – então tinha que usar muita imaginação também. Aí eu percebi que projetar calçados seria o trabalho perfeito, já que combinava minha formação com meu interesse por calçados e minha paixão por esportes. E foi assim que conheci a PENSOLE, que é uma escola de Design voltada especificamente para calçados, fundada pelo D’Wayne Edwards um cara com uma história incrível e que foi Diretor de Design da Jordan, onde projetou o Air Jordan XXI, Air Jordan XXII entre outros modelos.

Em 2014, eu consegui ser um dos 30 designers que participaram do primeiro World Sneaker Championship, que na época durava 30 dias e os participantes iam para Portland. Agora, nessa edição, eu decidi me inscrever novamente, para poder me desenvolver e aprimorar como “footwear designer”. A competição é uma ótima oportunidade para as pessoas que têm interesse em trabalhar com design de calçados.

Muito legal, Guilherme! E o que te motivou a tomar o futebol como ponto de partida pro design que você criou pra participar da competição desse ano? Você é fã do esporte ou viu que essa aproximação crescente do futebol com o universo casual era uma oportunidade pra você?

Um pouco dos dois: eu sou fã de futebol e sempre tive um grande interesse por chuteiras. Além disso, eu tenho percebido nos últimos anos que a moda relacionada com o futebol tem crescido muito. Grandes marcas estão trazendo modelos icônicos dos gramados para as ruas, como por exemplo os tênis da ADIDAS, que são híbridos das ACE com o ULTRABOOST, assim como a linha NIKE fez com o MERCURIAL FREE FLYKNIT e o NIKE FC, com toda a coleção de vestuário e tênis ligada ao futebol e seu lifestyle.

Esse estilo faz bastante sucesso na Europa, então eu usei isso para mapear meu consumidor, que é um cara que curte futebol e que também tem interesse por streetwear. Por isso, esse tipo de projeto fazia tanto sentido pra mim. O brief da PENSOLE pedia um projeto para um homem de 20 anos que se interessa por produtos premium e exclusivos, com uma mente globalizada. Então, além de todo o projeto ser inspirado nas chuteiras, traduzido para esse estilo casual, eu também inclui uma placa metálica na lateral, com um número de série para cada par. Dessa forma, o consumidor sabe que o produto que ele está usando é único.

Você é de Porto Alegre e agora mora em São Paulo, certo? Por que você escolheu o Rio de Janeiro como inspiração?

Eu pensei do ponto de vista de um gringo que gosta do futebol brasileiro e do Brasil. O mais comum é o cara conhecer o futebol e a cultura do Rio de Janeiro, né?!

Aliás, o futebol é parte da cultura do Rio, talvez até mais do que em outras cidades do Brasil, então foi uma escolha que foi surgindo naturalmente e então eu fui pensando em coisas que eu poderia incluir no desenho do tênis. O Rio é muito rico em ícones e histórias que podem ser usadas como inspiração.

Pra finalizar: qual seu tênis e designer (de calçados) preferidos? E de que forma eles influenciam seu trabalho?

Na verdade, são dois os meus designers favoritos: o próprio D’Wayne Edwards, fundador da PENSOLE, pois ele é um exemplo de seriedade e comprometimento, que se aposentou pra poder abrir a escola e compartilhar o conhecimento dele com um monte de designers que sonham em trabalhar com tênis.

O outro designer é o Denis Dekovic, que quando eu encontrei quando comecei a procurar sobre como me tornar um designer de calçados, daí passei a seguir o trabalho dele mais de perto.

Bom, é isso!

Se você quer conhecer melhor o trabalho dele e conferir detalhes sobre esse e outros projetos desenvolvidos por ele, acesse aqui o seu o portfólio.

E não se esqueça de votar! Nessa primeira fase, o prazo é até amanhã, dia 10 de março.

É só clicar no botão aqui embaixo, procurar pelo nome dele e ficar na torcida junto com a gente!

Votação WSC - Guilherme Lemes