Buscar por conteúdo

Havaianas E mastermind JAPAN: De Volta Às Origens Para Escrever Um Novo Capítulo Na História De Um Dos Maiores Ícones Brasileiros

Publicidade

A origem de um ícone

Talvez muita gente não saiba, mas quando surgiu, em 1962, HAVAIANAS – hoje, reconhecidamente, um dos maiores ícones brasileiros em todo o mundo – teve como fonte de inspiração as sandálias japonesas batizadas “Zori”.

No lugar da palha de arroz, material usado para construir o solado, e das tiras de tecido do modelo japonês, entrava em cena a borracha, resistente e macia, feita para durar. A forma de grãos de arroz, a propósito, é o que explica a textura marcante, encontrada nas palmilhas dos chinelos brasileiros até hoje.

De lá pra cá, são quase seis décadas escrevendo a própria história dos chinelos de dedo – outra curiosidade para os que não sabem: é de propriedade da Alpargatas, empresa mãe da HAVAIANAS, a patente industrial de um chinelo de borracha formado por “palmilha com forquilha ornamentada por duas gregas, de direções paralelas, cada uma formada por pequenos frisos em linha quebrada, entrelaçados”. Foram dezenas as campanhas memoráveis – quem não lembra de expressões como “as legítimas”, para descrever o produto? – e momentos marcantes, sendo a marca uma pioneira na conquista dos cinco continentes, o que inclui dezenas de colaborações e projetos especiais.

Só pra citar alguns exemplos: HAVAIANAS foi o primeiro produto tupiniquim a embarcar na onda das customizações, em 1996, depois de ser considerado “produto fundamental para a vida dos brasileiros”, pelo governo federal, na década anterior. A marca foi também a primeira do segmento a pisar nas passarelas de alta moda, em 1999, em desfile de Jean Paul Gaultier, em Paris, conexão reforçada diversas outras vezes, como na colaboração com a italiana Missoni, em 2010, ou mais recentemente com a francesa Saint-Laurent.

Uma versão criada em parceria com a H. Stern, em 2004, já havia lhe garantido status de joia e uma entrada (em grande estilo) no mercado de luxo. Luxo que hoje é um conceito intimamente ligado ao mercado de streetwear, de onde vem o segundo personagem da nossa história.

hstern
transparente

De volta ao Japão

Foi na, terra das sandálias “Zori” que nasceu, em 1999, a mastermind JAPAN, fruto da mente criativa de Masaaki Homa, um discípulo do designer Yohji Yamamoto que decidiu criar sua própria marca de roupas, depois de uma passagem pelo varejo que lhe rendeu noções sobre a relação entre o mercado de moda local e marcas emergentes.

De poucas palavras e pouquíssimas explicações a respeito de suas criações, Masaaki levou, de cara, a mastermind JAPAN para as passarelas de Paris, onde, somente depois de algumas temporadas, também estreou seu emblemático logo de caveira com os ossos cruzados, criado depois de mais de 1.000 tentativas. Certa vez, ele ainda explicou que seu objetivo maior sempre foi fazer roupas de qualidade inquestionável, com as melhores técnicas e os melhores materiais – tudo fabricado no Japão – o que acabou sendo um dificultador à expansão internacional dos seus negócios, já que era preciso que o comprador tocasse as peças para entender, de verdade, a mastermind.

A expansão veio, o reconhecimento também e junto com eles duas novidades: inúmeros pedidos de colaborações e a incerteza sobre o futuro da mastermind JAPAN, o que fez com que, no ano em que celebrou 15 anos (15 é o número de letras contidas em “mastermind JAPAN”, a propósito), a marca deixasse de existir sozinha, passando a atuar exclusivamente no território das colabs – que nós conhecemos tão bem.

E a lista de parcerias construídas pela mastermind JAPAN, de lá pra cá, não é pequena: Neighborhood, Chill Out (com que fez sofás), New Era, BAPE, [email protected], Stüssy, Anti Social Social Club, Dickies, Greg Lauren, KITH, C2H4, Seiko, COMME des GARÇONS e até Mercedes-Benz, o que nos dá um bom panorama da diversidade de itens já lançados com a sua assinatura – isso que nem falamos dos tênis.

Em 2017, 20 anos após a fundação da sua primeira marca, Masaaki Homa lançou a mastermind WORLD, essa sim para marcar um retorno às criações autorais, que convive em harmonia com mastermind HOMME, FEMME e A-GIRLS.

Em 2020, a primogênita da família se encontrou com a pioneira das sandálias do Brasil.

O passado encontra o presente

Unindo a inspiração de 1962 com o legado das ruas, sem deixar de lado seu DNA, a HAVAIANAS anuncia a chegada de um novo formato de sandália, com base quadrada, tira de tecido e um design totalmente inovador.

A chegada do novo produto acontece através da inédita colaboração com a mastermind JAPAN, que assina também uma versão do modelo tradicional.

“HAVAIANAS sempre procurou inovar em seus produtos, seja com novas categorias ou novos materiais. Mas dessa vez fomos além, e combinamos o passado com futuro, através de um shape totalmente novo, que remete às nossas origens, inclusive no nome. Não é apenas uma nova sandália, é um novo estilo de vida com HAVAIANAS no pé”,

explicou Fernanda Romano – Diretora Global de Marketing da HAVAIANAS.

“Sempre gostamos da HAVAIANAS, porque ela é a marca de flip flop mais icônica e famosa do mundo. A essência da mastermind JAPAN está no poder da colaboração e na parceria entre ambas as marcas. Aqui tivemos a combinação perfeita: uma marca japonesa endossando a nova forma inspirada em Zori da HAVAIANAS”

– complementou o time da mastermind JAPAN, de novo, numa rara exceção àquela regra de “poucas palavras”.

Lançada no Japão em 3 de junho, a parceria HAVAIANAS X mastermind JAPAN chega ao Brasil a partir de hoje, dia 17, com vendas exclusivas pelo site da Guadalupe Store (www.gdlp.com.br).

Entrevistas

Batemos um papo com Fernanda Romano, head de marketing, e Leonardo Boin Fujisaka, gerente de design da Havaianas sobre o lançamento da Tradi Zori e a colaboração com a mastermind JAPAN:

 

Como surgiu a ideia de uma colab com a mastermind JAPAN e como a Havaianas vê essa aproximação entre um ícone popular brasileiro,  streetwear e o novo luxo?

Fernanda: A Havaianas está o tempo todo olhando para o mercado para identificar oportunidades de parceria com outras marcas que façam sentido para nós. Quando veio a oportunidade de fazermos algo com a mastermind JAPAN, a partir do nosso time da Ásia, abraçamos na hora, pois entendemos que fazia muito sentido. Tanto para o mercado asiático, onde entramos com operação própria há pouco tempo e ainda precisamos gerar awareness, quanto para outros mercados em que já estamos consolidados mas onde também queremos nos conectar com o público fã de mastermind JAPAN.

Unir esses dois universos fez muito sentido, pois a origem de Havaianas tem uma conexão muito forte com o Japão. A cereja do bolo foi poder realizar a colab apresentando a Tradi Zori, um shape completamente novo, que volta para nossas raízes, e causa uma ruptura enorme na categoria.

 

Esse é um projeto pontual, ou o primeiro estágio de um relacionamento mais íntimo entre Havaianas e marcas mais ligadas ao universo do street wear?

Fernanda: No passado, Havaianas já fez colaboração com diversas outras marcas e artistas, que navegam em diversos campos. Não posso antecipar próximas colabs, mas garanto que teremos boas novidades ainda esse ano. Havaianas é uma marca democrática e que circula muito bem em todos os universos, o streetwear é mais um deles e sabemos que é um universo importante com marcas muito criativas e ainda vemos muita oportunidade aqui para crescer.

Quais os maiores desafios enfrentados durante o processo de redesenhar um ícone do porte da Havaianas até chegar no formato da Tradi Zori?

Leonardo: Eu citaria dois principais desafios:

O primeiro certamente foi a estranheza que a criação gerou (internamente). Fomos muito além do convencional, se compararmos com a estética dos produtos do nosso portfólio atual. O conceito criativo desse shape se sustentou, pois estava totalmente ancorado em referências históricas (Zori) que deram origem ao primeiro produto da marca, a Havaianas Tradicional.

O segundo ponto foram os desafios técnicos: trouxemos uma construção de tira e solado completamente diferente para esse modelo. Tivemos que pensar fora da caixa durante o processo de desenvolvimento. Desde como modelamos o 3D da entressola, que é o ponto que mais chama atenção, até como construímos a tira, trazendo materiais e execuções realmente diferentes, quando comparamos com os nossos produtos mais conhecidos.

 

Como aconteceu o intercâmbio com a mastermind JAPAN? Quais inputs vindos da marca você destacaria durante a execução do projeto?

Leonardo: Durante todas as nossas trocas com eles, eles foram muito parceiros. Trouxeram muito a visão do universo de moda de rua e a tradição japonesa para dentro dessa conexão. Quando apresentamos a Tradi Zori, foi muito legal, pois ficaram ainda mais honrados em terem sido os primeiros a colaborar com esse modelo, que traz linhas tão conectadas com a estética e cultura das sandálias japonesas.