Buscar por conteúdo

Lista Da Forbes Mostra A Nike (Ainda) Muito À Frente Das Suas Rivais

Matérias sobre vendas, lucros, receitas e diversos tópicos sobre saúde financeira das instituições – entre elas a indústria de calçados – têm seus lugares nos noticiários e fazem parte do universo de informações para entender melhor algumas decisões destas empresas.

Ultimamente, passaram por aqui matérias que falavam sobre o crescimento de ADIDAS e UNDER ARMOUR, mas uma lista recente divulgada pela FORBES – e que dispensa qualquer explicação a respeito – mostra o quanto a NIKE ainda está distante de suas concorrentes.

Ostentando a 18ª posição entre todas as empresas (de todos os ramos de atividades) em operação no planeta, o grupo proveniente da empresa do Oregon tem sua marca avaliada em 27,5 bilhões de dólares. Na categoria em que se enquadra – no caso, vestuários em geral – a NIKE está posicionada como número um, à frente de grifes de luxo e mesmo com todos os esforços recentes de suas rivais esportivas, como por exemplo a estratégia de se dedicar a mercados mais populares (e que nem sempre estão procurando as mais recentes tecnologias ou tendências, mas movimentam consideráveis unidades de produtos).

Para exemplificar (e quantificar) a diferença, a ADIDAS ocupa a 90ª posição, com suas cifras em torno de 7 bilhões de dólares. Ainda que tenha produtos que apresentem uma procura altíssima, assim como seus valores de revenda, a empresa alemã não tem um benefício direto sobre isso, uma vez que todo o seu lucro é encerrado no momento da compra do produto e não na revenda do mesmo.

É claro que isso traz valor agregado para a marca, assim como estratégias ferozes de marketing podem ser ‘calçadas’ por produtos desse quilate. Em um ano de decisões muito acertadas, a gigante alemã também tem emplacado – e muito bem – outros novos produtos como ULTRA BOOST e NMD, mas a NIKE ainda possui, segundo a matéria da FORBES, uma taxa de crescimento mais rápido – cerca de 5%, enquanto suas rivais, ficam em torno de 2%.

Isso significa que a NIKE está fazendo tudo certo? Parece que não é bem assim.

Apesar das elevadas vendas e categorias em crescimento, uma grande quantidade de seus produtos, como os recentes  LEBRON 13 e AIR MAX 2016, não caíram no gosto dos consumidores como esperado, o que pode representar um problema.

Mesmo sem novos lançamentos que criassem “descontrole” no mercado, como a dobradinha alemã supracitada, ainda modelos promissores para a marca do SWOOSH, como o próximo KD 9, que parece ser o calçado de basquete mais inovador da história da NIKE, com preço estimado de U$ 150 – uma relativa pechincha nos dias atuais.

A lista completa da FORBES pode ser acompanhada por aqui e resta ficarmos atentos aos próximos capítulos dessa batalha esportiva.

nike-mark-01

Fonte: Sneaker News