Buscar por conteúdo

Neymar Deve Deixar De Usar As Nike Hypervenom

Quando despontou, ainda no Santos, NEYMAR era figura certa entre aqueles que usavam os mais recentes lançamentos da MERCURIAL, mas isso mudou no verão de 2013, quando a NIKE descontinuou a TOTAL 90 e em seu lugar lançou o silo conhecido como HYPERVENOM.

A mudança foi grande: em vez de uma powerboot, naturalmente mais robusta, a NIKE apostava em novo silo para se adequar às evoluções do jogo. Segundo a empresa, os atacantes deixaram de ser figuras que pouco se movimentavam e eu tinham somente o dever de “colocar a bola pra dentro”. Agora, eles precisavam de agilidade, teriam mais posse de bola e precisariam controlá-la em um curto espaço de campo, por isso a HYPERVENOM contava com uma soleplate especialmente desenvolvida para mudanças bruscas de direção e um cabedal texturizado, para máximo controle da bola.

A primeira geração do modelo foi um sucesso e diversos jogadores aderiram, tanto aqueles usuários da extinta TOTAL 90, quanto aqueles que usavam a speedboot da marca, a MERCURIAL. Entretanto, tal sucesso não foi visto na segunda geração, que ao adotar o FLYWIRE em sua construção perdeu o cabedal texturizado.

Uma das principais baixas foi a face do silo, NEYMAR, que passou a usar a MERCURIAL VAPOR disfarçada com os grafismos da HYPERVENOM. O backlash foi tamanho que a NIKE foi forçada a lançar a HYPERVENOM II 2.0, que trazia a volta do cabedal texturizado. Esperava-se que, com isso, figuras como NEYMAR voltassem ao silo, mas tal fato não aconteceu.

Com o lançamento da HYPERVENOM III, a NIKE irá fazer algumas mudanças em seu silo de agilidade. A principal delas é que NEYMAR passará a ser divulgador da linha MERCURIAL VAPOR, enquanto CRISTIANO RONALDO continua a ser a face da MERCURIAL SUPERFLY. Inclusive, já consta no calendário da marca a primeira MERCURIAL VAPOR NEYMAR, com lançamento previsto para Agosto de 2017 e que homenageará momentos importantes da vida do brasileiro, como o nascimento de seu filho Luca e sua transferência para o Barcelona.

A marca também irá “consertar” um defeito na nomeação do silo: quando do lançamento da segunda edição da chuteira, a NIKE nomeou a versão com DINAMIC FIT de HYPERVENOM PHANTOM, o nome da versão topo de linha da primeira geração, que não trazia o colar estendido, renomeando a versão de cano curto de PHINISH. Para a terceira geração, não haverá o nome PHINISH, mas sim HYPERVENOM PHANTOM III DF e HYPERVENOM PHANTOM III.

É esperado que a face do silo seja o polonês ROBERT LEWANDOWSKI, que já até recebeu sua versão especial da chuteira, comemorando 100 gols na BUNDESLIGA.

neymar1 neymar2 neymar3 neymar4