Buscar por conteúdo

Nike Ipanema – A Primeira Loja de Experiência da Nike na América Latina

O ano de 2012 foi batizado pela NIKE como seu ENERGY YEAR. Têm sido doze meses de constantes lançamentos e inovações que vão pavimentar o caminho da marca para, pelo menos, os próximos quatro anos.
Exemplos dessas ações foram a LUNARLON COLLECTION, CLASH COLLECTION e o principal lançamento da marca no ano: a tecnologia FLYKNIT.

No Brasil, a empresa coroa essa estratégia com a inauguração da sua LOJA DE EXPERIÊNCIA – um das 15 em todo o mundo – no Rio de Janeiro, e é claro que o SNEAKERSBR estava lá para conferir tudo em primeira mão.
A NIKE IPANEMA fica na esquina das Rua Garcia D’Ávila com Visconde de Pirajá, no coração do bairro carioca, com localização privilegiada, a duas quadras da praia e uma da Praça Nossa Senhora da Paz.

Seguindo os preceitos de “Brand Experience”, a loja tem 1.200m², divididos em três pavimentos, mais subsolo, e propõe uma conexão muito maior com o consumidor, convidado-o a interagir com cada um dos produtos e conhecê-los dentro do ambiente para os quais foram desenvolvidos.
Nos treinos da equipe #COISADABOA do Rio de Janeiro, por exemplo, a loja vai funcionar como um ponto de encontro do grupo. Dali vão sair os treinos semanais e, na volta da corrida, um espaço com wi-fi gratuito vai permitir aos atletas baixar informações de sua performance e subir dados nos aplicativos NIKE+.

O terceiro andar da construção é batizado de BRAND SPACE, um lounge com uma bela vista da paisagem e terraço, onde acontecerão eventos e lançamentos especiais.
Para os sneakerheads, a boa notícia é que a loja de IPANEMA está sendo apresentada como a central de QUICKSTRIKES da NIKE na America Latina.
Ou seja, temos aí a promessa de que grande parte (se não todos) dos QUICKSTRIKES, TIER ZERO e dos produtos mais especiais, lançados pela NIKE em todo o mundo, desembarquem também na mega loja – o que já começou a acontecer, na verdade, com produtos como LUNAR RALSTON, AIR FORCE 1 FOAMPOSITE, MAYFLY WOVEN, dentre outros, já disponíveis nas prateleiras.
E isso deve ser só o começo.

No segundo andar fica a área para futebol, com direito até a um tapete de grama sintética, ideal para calçar sua chuteira.
Por lá também fica a área de SPORTSWEAR, que inclui um corner exclusivo para o AIR FORCE 1 – nada mais justo para o modelo que comemora seus 30 anos em 2012.
É nesse mesmo andar que é possível experimentar o novo NIKE ID.
Infelizmente ainda não há a disponibilidade de produtos que ocorre lá fora, mas agora o processo é feito todo pelo sistema o que transforma a experiência em algo mais dinâmico e funcional. Alguns desses produtos customizados ficam prontos na hora. Quanto ao DUNK o seu prazo de espera foi reduzido pela metade e agora ele fica pronto em apenas 30 dias.
Hoje 70% de todas as chuteiras vendidas pela marca são customizadas e dependendo do ponto de vendas esse número pode chegar a 90%.

O primeiro andar concentra a área de corrida, bem dividida entre homens e mulheres, com direito a alguns runners do passado que voltam à cena pelas mãos da divisão SPORTSWEAR. Chama a atenção uma parede em formato de grelha de waffle, onde os três principais silos de corrida ficam expostos. Um belo toque e uma merecida homenagem ao passado da empresa.
Por falar em modelos de corrida, as estrelas da vez são o AIR PEGASUS 29, direcionado para aqueles que buscam o máximo de amortecimento, LUNARGLIDE 4+, para quem quer estabilidade e o FREE RUN 3, para os adeptos do barefootrunning.
Os FLYKNIT também estão por lá e a loja é a primeira, depois da NIKE MORUMBI (em São Paulo) a receber todas as cores dos modelos RACER e TRAINER.
Ainda no primeiro andar começa uma exposição de futebol, com diversas camisas da seleção Brasileira, objetos e imagens históricas, além de um exemplar da AIR MERCURIAL, a chuteira que deu origem a linha MERCURIAL VAPOR, que segue pelo pé direito até o segundo andar.

Segundo a marca, todo o espaço foi pensado dentro do conceito de “comprabilidade”, de maneira que a distribuição de produtos e o mobiliário são orientados a dar liberdade máxima ao cliente. Assim, ele pode procurar e experimentar os produtos sem necessitar ajuda de um vendedor.
As obras duraram dois anos e mais de 400 pessoas foram envolvidas no projeto, sendo que o pico da construção reuniu de 120 a 150 trabalhadores.

Todo esse esforço se justifica com a divulgação de alguns números bem interessantes: o Brasil, hoje, já é um dos maiores mercado consumidores para a marca do swoosh. Só a divisão de corrida vende, por ano, por aqui, 1,8 milhão de pares de tênis, e seu negócio total é da ordem de R$ 1.3 bilhão.
Alto, não? Pois é…mas para se ter uma ideia, a divisão SPORTSWEAR, em 2011, vendeu mais do que a divisão de corrida.
Além disso, o país é o centro do mercado de artigos esportivos do mundo, nos próximos 4 anos.

A sustentabilidade foi um ponto primordial no projeto, alinhado com a filosofia atual da NIKE de reduzir ao máximo o desperdício durante a cadeia produtiva, e por isso foram usados materiais reciclados e madeira certificada. Os tapetes dos quatro provadores são feitos de borracha reciclada de tênis. Há utilização de muita luz natural, com grandes painéis de vidro principalmente no segundo andar.
O som da loja também foi pensado para reproduzir o espírito brasileiro e, sobretudo, o carioca: estão na trilha, samba, bossa nova e funk, dentre outros ritmos locais.
Ainda nesse mesmo clima, uma coleção de produtos especiais, e exclusivos, já está disponível na NIKE IPANEMA e inclui a camiseta SPIDER KNOWS, colocando o lutador ANDERSON SILVA no rol dos atletas e personalidades que tiveram direito a sua estampa …KNOWS, e a RIO COLLECTION, uma minicoleção de camisetas criadas especialmente para a inauguração, que conta com 15 estampas que homenageiam áreas da cidade maravilhosa, sendo nove masculinas e seis femininas.

A NIKE IPANEMA será aberta ao público nessa sexta, 12 de Outubro, com direito a uma programação especial e festiva durante todo o dia, que inclui um bato papo especial, e exclusivo com ANDERSON SILVA para os primeiros 35 consumidores que estiverem na fila na hora da abertura, às 10 da manhã.