Buscar por conteúdo

Primando Pela Qualidade, A PACE É A Nova Marca Nacional Em Que Você Deve Ficar De Olho

Não restam dúvidas de que o Brasil tem sido um frequente destino de grandes marcas e lançamentos, mas há uma parcela do mercado de tênis, roupas e acessórios que é, muitas vezes, esquecida, mesmo crescendo ao nosso lado.

Obviamente, estamos falando das marcas nacionais, que surgem com cada vez mais qualidade e ânimo pra fazer acontecer em frente aos nossos olhos algo semelhante ao que já é visto em outros países.

Com uma abordagem mais fashion e sofisticada, que poderia ser comparada a nomes internacionais como FILLING PIECES e COMMON PROJECTS, a brasileira PACE está dando seus primeiros passos e por isso resolvemos bater um papo com Felipe Eloy, designer e fundador da marca, pra que ele nos contasse um pouco do que já foi e está sendo preparado.

SneakersBR – E aí, Felipe, se apresenta pra gente e conta um pouquinho de como nasceu a PACE.

PACE – Me chamo Felipe Eloy, 26 anos. Cursei moda por dois anos e meio, larguei e estou pra me formar no próximo semestre em administração.

A PACE nasceu quando eu estava no “prézinho” e vi uma menina de outra sala usando um Nike todo preto com o Swoosh branco. Voltei pra casa já pedindo pra minha mãe aquele tênis, que eu sequer sabia qual era a marca. No fim das contas, eu ganhei uma Topper preta com o símbolo branco. Desde essa época, ainda com uns cinco anos, os tênis me cativaram.

Comecei a me aventurar no mundo calçadista em janeiro de 2015. Não sabia nada, não tinha contato de ninguém, não sabia nem por onde começar. Após muitas pesquisas e várias respostas negativas, consegui um pessoal pra fazer os tênis.

Fiz três modelos: um Chukka Boot, um High Top e um Low “all-white”, todos com sola caixa.

Conforme o tempo foi passando, comecei a aprender sobre forma, moldes, toebox e etc. Eu não conseguia muita qualidade, mas era o que eu tinha e precisava começar de alguma maneira.

Nessa época, a marca ainda tinha outro nome. Após esse período, que foi mais como um estágio, eu ganhei muita experiência, tanto pra me capacitar, quanto para entender como funciona a criação de um tênis, o que,  consequentemente, me elevou a outro nível de conversa com os fabricantes. Consegui negociar e falar de igual pra igual em relação aos shapes, materiais e produção. Nesse momento, eu decidi que era hora de ir para outro nível de qualidade, investir o que eu aprendi. A partir disso, fizemos a transição de nome e daí nasceu a PACE.

Em meados de setembro começamos a soltar esse nome, mas a ideia já estava sendo executada pelo menos 3 meses antes.

PACE, traduzindo do inglês, significa ritmo e foi muito do momento que eu estava passando na época, não satisfeito com a qualidade anterior, mas sempre com pressa para lançar produtos bons. E não funciona dessa forma: tudo que é bem feito demanda tempo, dedicação e estudo. Daí veio o “Ritmo/PACE”, onde eu tive que aprender a caminhar no pace certo para que as coisas corressem da maneira que eu desejo.

PACE surgiu da necessidade de bons tênis, com qualidade e estética atual com pegadas clássicas, tudo no nosso ritmo, no tempo que as coisas devem ter para se criar algo bom!

SneakersBR – Demais, Felipe! Conta quais são as maiores dificuldades que você já enfrentou em todo o processo, desde a concepção dos tênis até a sua fabricação.

PACE – São muitas dificuldades, mas a principal é achar bons solados, como um cupsole 100% borracha, que é encontrado facilmente em Portugal e na Itália (isso sem ser matrizaria própria), ou um EVA injetado daqueles com densidade, peso e que dê ao tênis a estética apropriada. Então, a partir daí, é quebrar muito a cabeça pra deixá-los no nível desejado.

Além dos solados, a questão de materiais sintéticos de alta qualidade é muito, mas muito difícil de se encontrar, como bater o tom do neoprene com o couro que utilizamos.

São pequenas coisas que fazem muita diferença. Cadarços, pra quem tem baixa quantidade, é uma tarefa complicada também, mas dá pra contornar.

Uma coisa que é boa daqui é que o couro brasileiro tem muita qualidade!

Mas essas dificuldades servem para pensarmos em soluções criativas e que muitas vezes dão certo, o que acaba fazendo o tênis ser super diferente. Essa é a grande graça disso tudo!

SneakersBR – Deixando de lado esses problemas, como o pessoal tem recepcionado a Pace? Rolou até um evento pra estrear essa nova fase, certo? Como foi?

PACE – Não tivemos um contato muito grande ainda com o público, mas expusemos em um evento bacana, promovido por uma turma sneakerhead e essa foi uma experiência muito positiva pra nós. As pessoas paravam e perguntavam se era daqui mesmo, experimentavam, e fomos recebido melhor do que eu esperava!

E, sim, fizemos nosso evento de lançamento no dia 15/12! Foi muito bom, com muita gente de bom gosto por lá e foi meio que um teste pra nós. Estavam expostos os tênis e acessórios, e muita gente, até mais do que o esperado, acabou comprando o que havíamos levado.

SneakersBR – Você já têm planos futuros pra marca? Como você enxerga os próximos anos dessa indústria, seja dentro ou fora do Brasil?

PACE – Os planos futuros são continuar a caminhada em busca de qualidade, que é o meu maior desafio com a PACE.

Conseguimos produzir produtos muito bons, mas eu sinto que posso melhorar ainda mais e é isso que está nos planos futuros. Vamos lançar variações novas, silhuetas novas e algumas edições dos que já lançamos.

Eu enxergo os próximos anos da indústria como um grande desafio. Eu assisti a uma entrevista com um gigante do mercado mundial, em que ele diz que enxerga o mercado dos tênis como um ciclo de 5 a 7 anos. Há 5 anos estavam em alta botas e tênis casuais, e de 3 anos pra cá os tênis com estética esportiva estão dominando a massa.

E não vejo sinal de parar, pelo menos por enquanto, acredito que vá durar muito tempo, pois as gigantes do mercado também souberam utilizar desse gancho dos casuais e adaptarem às silhuetas clássicas deles, com reedições e colaborações que estão sendo lançadas com muita frequência.

O que vai na contramão são as marcas como a minha, que fazem em baixa quantidade, com qualidade e uma pegada luxuosa, que você vai ver nos pés de poucos.  Os poucos que procuram por essa história do tênis feito de maneira mais clássica, um pouco mais limitado, também compram os lançamentos mais esperados do ano, mas sabem quando querem algo mais “slow industry”.

Não posso deixar de mencionar também os tênis com tecnologia em impressoras 3D, que já são uma realidade e que vão se tornar ainda mais familiar a todos daqui alguns próximos anos.

Se você gostou da PACE e quer conferir mais detalhes de seus tênis e acessórios, assim como garantir alguns deles, passa lá no site e loja online da marca, além de segui-la em suas redes sociais.