Tradição Redefinindo O Futuro: Como Havaianas Foi Buscar No Passado Inspiração Para Invadir O Streetwear Do Presente

EDITORIAL
03 ago 2020
Por: SBR Team

Publicidade

A origem das sandálias Zori nos leva ao Japão império, por volta do ano 794 antes de Cristo. O calçado tinha componentes bem característicos, dois dos quais se destacavam – tiras de tecido em forma de forquilha e solado feito de palha de arroz – e seu visual foi variando, ao longo dos anos, de acordo com a ocasião de uso.

 

A facilidade de calçar/descalçar uma Zori remete à tradição japonesa de não adentrar ambientes fechados com um calçado nos pés e sua história de mais de 2.700 anos se conecta de um jeito inusitado com o Brasil dos anos 1960.

Na era do amor livre, das influências psicodélicas e da cultura hippie, um grupo de executivos brasileiros viajou ao Japão, de onde trouxe a ideia de produzir localmente um calçado inspirado nas sandálias Zori, mas produzido com um material muito mais abundante no país (e barato) do que a palha de arroz: a borracha.

Nasciam as Havaianas, batizadas a partir de um destino turístico universal – o Havaí – e transformadas em patrimônio cultural (ainda que não reconhecido oficialmente…ainda!) brasileiro ao longo das últimas cinco décadas.

De calçado “de praia”, as Havaianas viraram item funcional nos pés de trabalhadores de todo o país (baratas, duráveis e amplamente distribuídas pelas cinco regiões, combinação mais do que perfeita), parte da cesta básica dos brasileiros, nos anos 1980, e foram resignificadas nos anos 1990, passando a representar, também, estilo de vida, acessório e moda e até objeto colecionável, conquistando novos territórios e atravessando as fronteiras do nosso Brasil.

É praticamente impossível encontrar alguém que já não tenha usado, comprado e consumido um par de Havaianas. É praticamente tradição levar um par de Havaianas de presente para algum amigo que mora foda do país – ou, no caso dos estrangeiros, comprar pelo menos um par de Havaianas em uma visita ao Brasil.

“Tradição”, a propósito, é uma palavra que vira e mexe aparece na história da marca. Uma história que agora ganha um novo capítulo e novos cenários, onde um novo produto das Havaianas começa a construir seu legado.

Not a flip-flop. A lifestyle.

Foi nas origens da sua própria história e na tradição das sandálias Zori, japonesas, que a Havaianas foi buscar inspiração para um novo produto – que nasceu sob as bênçãos da mastermind JAPAN, um nome respeitado no universo do streetwear, local e internacionalmente.

A novidade atende pelo (apropriado) nome de Tradi Zori e suas mudanças – quando comparada ao produto mais tradicional, as Havaianas Top – vão muito além dos elementos estéticos. 

Tiras de tecido de alta qualidade, com costuras marcantes, entressola de EVA com desenho quadrado no calcanhar e sola de borracha com recorte nos dedos que remete aos calçados Tabi, outro patrimônio japonês, além de uma cartela de cores que junta as combinações mais conhecidas, com novidades vibrantes são apenas as (importantes) ferramentas usadas pela marca na conquista de um novo território: as ruas, ambiente dominado pelo que se convencionou chamar de “streetwear”, uma moda autêntica, cheia de significados e simbolismos próprios e que, cada vez mais, toma lugar das rígidas regras antes ditadas pelas passarelas.

A Tradi Zori já nasce emblemática e sua conexão com o jeito como as pessoas se vestem nas grandes (e pequenas, por que não?) cidades parece ser bem natural – ainda mais nos tempos estranhos em que vivemos, boa parte dele passado dentro de casa. 

Do legado construído pela irmã mais velha e, por enquanto, mais famosa, signos facilmente reconhecíveis foram mantidos, como a textura de grão de arroz das palmilhas, mas, nesse caso, pequenas alterações nos ingredientes alteram significativamente o resultado no produto – literalmente.

transparente-10x1000

Muito mais marcante, o visual da Tradi Zori cabe perfeitamente tanto em momentos de relax, quanto em um look cheio de personalidade, turbinado por calça e meia – sim, chinelo e meia, outra das “polêmicas bobas”, que vez por outra permeiam o mundo da moda – e pronto para ganhar as ruas (como nas fotos do mini editorial que você confere nessa matéria).

Muito mais do que um chinelo de dedo – e quem chama “chinelo de dedo”, aqui no Brasil? A gente fala “Havaianas”, mesmo! – a Tradi Zori surge como um ícone de estilo, feita para ser usada no asfalto e nas ruas. Uma junção da tradição japonesa com o shape histórico das Havaianas. Passado e presente se juntando para construir o streetwear do futuro. Made in Brasil.

Dois nomes do mercado brasileiro dão suas impressões sobre as Havaianas Tradi Zori

Pedro Prado

Sócio Guadalupe Store

 

“Acho que poucas marcas podem dizer que se tornaram o nome do próprio produto e, sem dúvidas, a Havaianas é uma delas. Faz parte de qualquer brasileiro, de todas as classes sociais e regiões. Não consigo lembrar de algum produto que vende em loja de construção e na Saint Laurent, ao mesmo tempo. Como o streetwear, no conceito puro e simples, é construído por marcas e elementos que vem da rua, acho que a Havaianas tem muita coisa pra explorar ainda. Não é um universo simples de ser explorado por uma marca “nova”. Assim como em outros segmentos, existem barreiras que já estão estabelecidas e precisam ser quebradas. Não vai ser fácil, mas acho que começaram muito bem: todo o plano estratégico, as pessoas envolvidas e as escolhas das parcerias estão ótimas. Os consumidores são “chatos”, no sentido bom da palavra. São super atentos às histórias e aos detalhes, e boa parte consegue identificar se o movimento de marca é algo autêntico, ou se é apenas pra aproveitar o momento. Por isso, as histórias precisam ser muito bem amarradas. Pensando no fato de ser uma marca brasileira fazendo algo pro mundo todo, acho que o sentimento deveria ser de orgulho!”

Suyane Yanaya

Editora de moda Elle Brasil
Diretora Criativa/Co-Fundadora MOOC

“Havaianas representa minha infância, representa muito da minha vivência com a minha família, amigos e até de trabalho – pois eu trabalho de Havaianas…haha.
Pra mim, a marca significa união e conforto, significa ser você mesmo e ainda assim trazer uma essência no seu outfit.
Havaianas faz parte do dia de cada brasileiro, complementando o estilo de cada pessoa com conforto. Eu acho muito legal esse alcance entre os amantes do streetwear, pois abre mais um grande portal em como podemos usar de “N” formas as nossas Havaianas.
Simplesmente amei a Tradi Zori, totalmente diferente de todas as Havaianas que já tive. Eu vou usá-la complementando do meu styling, que é muito genderless e que acredita que um chinelo deveria ser mais valorizado.”

Modelos: Gabriel Valladão e Nicole Meireles

Fotógrafo: Gabriel Freitas (Insallubre)

Stylist: Rafaela Cupolillo

 

Relacionados

Relacionados